Ir para o conteúdo principal

Jogos digitais podem afetar o comportamento das pessoas?

highlighted:
beforeContent:

Eu jogo desde criança, meu primeiro videogame foi um Atari e ainda lembro de ter jogado Enduro, Flogger, Megamania, Pacmam, Pitfal e Space Invaders mas nessa época os jogos não eram nada realistas. Hoje temos jogos que simulam guerras, conflitos e competições onde o objetivo é matar outros jogadores usando diversos tipos de armas e ferramentas no jogo para ganhar pontos e vencer.

Eu sou pai e me preocupo com o rumo em que a violência, discurso de ódio e intolerância está tomando em nossa sociedade e será que os jogos fazem parte disso?

Tragédias estão relacionadas aos jogos?

Nesse mês aconteceu a tragédia em uma escola de Suzano onde 2 jovens ex alunos entraram na escola armados, mataram, feriram vários alunos e se suicidaram. Um dos assassinos estava usando uma roupa parecida com um personagem do jogo Free Fire.

Ao analisar as informações relacionadas com essa tragédia é possível ver que os assassinos sofriam de problemas comportamentais em comunicações com outras pessoas e isso era detectável nos jogos por um “comportamento tóxico” e uma vida com problemas que não foram detectados pela família à tempo.

De acordo com o médico e psicólogo Roberto Debski, os jogos dão modelos de agressividade do mesmo jeito que noticiários e filmes. "Por trás de um jovem que também joga esses jogos de tiro e fez uma chacina, existe por trás uma psicopatologia", explica o doutor. "Influência tem, mas existe algo muito mais importante que é o que está levando esses jovens a estarem vulneráveis emocionalmente e socialmente." - fonte: Desktak

Mas de acordo com os professores de psicologia Patrick Markey e Christopher Ferguson apenas 20% dos atiradores em escolas jogavam jogos virtuais violentos, em comparação com quase 70% de seus colegas não-violentos. - fonte: Bussines Insider

E o que dizem as pesquisas?

Algumas pesquisas como da American Psychological Association indicam um pequeno aumento na agressividade de jogadores mas isso não está diretamente relacionado com violência.

Outras pesquisas como a “Behavioural realism and the activation of aggressive concepts in violent video games” publicada em 01/2018 indica que não existe uma ligação direta entre jogos e agressividade e mostra que podem existir erros na metodologia usada em pesquisas que apontam o contrário.

Minha experiência:

Passei por várias fases saindo do arcade e videogames, passando pela época das lan houses até os jogos atuais.

Na época da Lan House era comum ter um clima de competição em jogos como CS, jogo que possui muita violência, mesmo assim não lembro de eventos onde o jogo gerou uma briga ou discussão na vida real.

Parei de jogar jogos competitivos pela internet como DOTA e LOL pela quantidade de jogadores “tóxicos” com vários tipos de ações negativas desde uso de xingamentos, comentários negativos ou más práticas e hoje busco jogar jogos com histórias sem competição.

Conclusão:

Jogos vão muito além de entretenimento, podem estimular uma melhor atenção e percepção, estimular um pensamento estratégico, melhorar a coordenação motora nos olhos e mãos, estimular o trabalho em equipe e diminuir o estresse. Não existe consenso se os jogos causam violência na vida real mas seu vício pode gerar problemas de saúde e sociais.

Podem ser usados para identificar comportamentos nocivos e níveis de psicopatia para tratamentos antes do acontecimento de novas tragédias.

A educação pode ser mais divertida com jogos e otimizar o aprendizado e criatividade independente da idade do aluno.

Jogos pode ser parte importante da vida das pessoas mas é importante ter moderação e no caso de crianças e jovens, os responsáveis devem manter uma atenção especial para identificar e tratar problemas.

Links e referências:



Tags:

afterContent:
Widget: Comments 3:

Comments